História

A CASLA (Casa Latino-Americana) foi fundada em junho de 1985, em Curitiba, Paraná pela iniciativa de muitos paranaenses engajados na resistência democrática no continente. Naquele período vivia-se uma transição de regimes políticos autoritários para uma fase ainda incipiente de democracia, embora se fizesse sentir em todas as regiões um profundo anseio por novos espaços de manifestação e criatividade das populações historicamente subjugadas.

A entidade passou por duas fases: a primeira, naquele período inicial, que deu ênfase à difusão da necessidade dos valores democráticos para o retorno de um sistema político aberto; a segunda, após a reintrodução da democracia, com a ampliação dos espaços de participação cidadã,  a CASLA sentiu que era preciso discutir os problemas das sociedades latino-americanas de uma forma mais sistemática e permanente, por meio de ações educacionais e de integração dos povos e culturas.

A CASLA mantém ainda um programa de entrevistas sobre aspectos sócio-políticos e culturais latino-americanos (AMÉRICA LATINA VIVA), em parceria com a UFPR TV.

Atividades e Eventos Realizados

O primeiro evento foi realizado em 1992, com a organização do I CEPIAL (Congresso de Educação para a Integração da América Latina), que reuniu na cidade de Marechal Cândido Rondon, oeste do Paraná, aproximadamente cinco mil pessoas, incluindo representantes de nove países latino-americanos.

Em 1994, foi realizado o II CEPIAL na UEM, em Maringá, com público de aproximadamente dez mil pessoas e participantes de 14 países da América Latina. Os temas debatidos foram educação pública, meio ambiente, cultura e política.

Ao longo dos anos, realizaram-se diversas atividades como cursos de extensão sobre Formação Histórica da América Latina, em convênio com a Universidade Federal do Paraná; curso de língua espanhola em convênio com a PUCPR; palestras sobre o patrimônio histórico da América Latina; debates sobre dívida externa, a situação da Nicarágua.

Foram promovidos eventos e debates sobre temas de medicina social; adoção internacional de crianças e a questão social das mulheres e dos indígenas (desde a Constituinte de 1988); a educação em diversos países, crise econômica; foi realizada a semana da América Latina nas escolas do Paraná; encontro de estudantes; encontro de lideranças indígenas; exposições de arte; homenagens a personalidades culturais e artísticas da América Latina e inúmeras outras atividades.